segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Origem do Furin




Fūrin, os tradicionais sinos de vento do Japão.

Estima-se que os primeiros tenham surgido por volta de 1100 aC na China para fins religiosos. Tratava-se de um sino de metal sem badalo chamado Yong zhong, feito por artesãos qualificados e usado principalmente em cerimônias religiosas.
Posteriormente, os chineses criaram o Feng ling, semelhante ao Furin de hoje em dia. Os feng lings eram pendurados em templos e pagodas para afastar os maus espíritos e atrair felicidade e sorte às pessoas que frequentavam o local.

Fūrin (風鈴) significa literalmente “Sinos de Vento” e tem origem chinesa. É um objeto simples que se caracteriza na maioria das vezes por uma esfera ou cilindro de vidro, cerâmica, metal, bambu, madeira, etc. Dentro dele tem um pêndulo que balança ao sopro do vento, ecoando um som parecido como o de um sino.
Durante o verão quente japonês, podemos vê-los e ouvi-los com mais frequência, não só em áreas tradicionais, como também em distritos modernos. O Furin, ou furina como também é chamado, é colocado na frente da janela ou porta, e seu som anuncia a brisa refrescante durante os dias quentes e úmidos no verão.
O “Furin” também é chamado de “Furina” ou chamado conforme o nome do material usado, como exemplo: “sino de bambu”, “sino de metal”, “sino de vidro”, “sino de madeira” e “sino de concha”. Hoje em dia, podemos encontrar uma grande variedade de Furin decorativos.

Sinos doces
O som do toque de cada tipo de Furin difere um do outro. Seu ritmo ocorre naturalmente dependendo do material que é feito e do movimento do vento. Seu som característico é chamado de “som doce” e tem até um nome específico em japonês: Yuragi“. Mas também pode significar “balbucio de um rio ,canto de um inseto.” Depende da interpretação de cada um.






segunda-feira, 5 de janeiro de 2015






Para caçar ratos, o gato esconde as unhas.
Provérbio japonês

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Crisântemo – A Flor Nacional do Japão




 



O crisântemo, chamada de Kiku (菊), é uma flor muito apreciada pelos japoneses. É considerada a “Flor Nacional do Japão”, além de ser um dos maiores símbolos da Família Imperial Japonesa. Pode parecer apenas uma bela flor para muitas pessoas, mas para os japoneses o crisântemo tem um significado especial.

É considerada uma flor que simboliza o Outono, pois é durante essa estação que o seu desabrochar se torna mais intenso, além de também ser considerada o símbolo do sol por causa da perfeição e maestria de como abre suas mais de 300 pétalas, o que lhe proporciona uma aparência única, distinta e elegante.










 Os Crisântemos foram originados na China e trazidos para o Japão no ano de 400 dC. por monges budistas. Os imperadores japoneses ficaram tão impressionados com a beleza desta flor que acabaram adotando seu projeto para ser um dos maiores símbolos da família imperial japonesa, e mais tarde a Flor Nacional do Japão.

Em 910 dC, o Imperador japonês adotou o crisântemo como seu selo oficial e brasão da família imperial – uma flor dourada com 16 pétalas que irradiam do centro como chamas do sol. O trono onde os Imperadores se sentam também são chamados de “Trono de Crisântemo”, além da “Suprema Ordem do Crisântemo”, honraria concedido somente pelo imperador.




Devido aos seus inúmeros significados como longevidade, rejuvenescimento, prosperidade, amizade, alegria, otimismo e fidelidade, o design de crisântemo passou a fazer parte das artes japonesas e peças como vestuário ou mobiliário.

Cada cor também pode trazer um significado diferente. Um crisântemo vermelho simboliza o amor, quando dado para alguém especial; um crisântemo branco simboliza sinceridade e a amarela, amor não correspondido. O Crisântemo Amarelo significa literalmente “Flor Dourada”, de acordo com o seu nome em grego.


terça-feira, 18 de novembro de 2014






Uma mulher sem ciúme é como uma bola que não pula.

Provérbio japonês