quinta-feira, 19 de novembro de 2009

“A espada é a alma do samurai”



















A espada foi a arma mais usada no Japão medieval, principalmente após sua unificação pelo Shogun Tokugawa Ieyasu (início do séc XVII), período de muitos duelos entre samurais. Tão grande era sua importância que foi declarada privilégio exclusivo da classe guerreira em 1588. “A espada é a alma do samurai”, disse Tokugawa Ieyasu.

Um samurai era facilmente reconhecido pelas ruas por portar duas espadas presas ao obi, uma longa, a Katana (de 60 a 90 cm), usada nas lutas em locais amplos, e uma menor, a Wakizachi (de 30 a 60 cm), para espaços fechados. O Daishô, nome dado ao conjunto, representava o estatuto máximo dos samurais, simbolizando o orgulho e emblema do guerreiro. Havia uma terceira arma, o Tanto, uma faca fina que ficava escondida e era usada só em emergências.

A história da Katana está ligada à história do Japão e ao desenvolvimento das técnicas de luta. Sua denominação muda conforme o período ao qual as peças pertencem.

* Jokoto ano 795
* Koto (espadas antigas) 795-1596
* Shinto (espadas novas) 1596-1624
* Gendaito (espadas contemporâneas) 1876-1953



Katana




















Katana é o sabre longo japonês. Surgida no Período Muromachi, era a arma padrão dos samurais e também dos ninjas para a prática do kenjutsu, a arte de manejar a espada. Tem gume apenas de um lado, e sua lâmina é ligeiramente curva.
A espada Katana era muito mais do que uma arma para um samurai: era a extensão de seu corpo de sua mente. Forjadas em seus detalhes cuidadosamente, desde a ponta, até a curvatura da lâmina eram trabalhadas totalmente a mão. Assim, os samurais virtuosos e honrados faziam de sua espada uma filosofia de vida. Para o samurai, a espada não era apenas um instrumento de matar pessoas, mas sim uma forma de fazer a justiça e ajudar as pessoas. A espada ultrapassava seu sentido material; simbolicamente, era como um instrumento capaz de "cortar" as impurezas da mente.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

SAYONARA O MOO ITIDO (OZAKI KIYOHIKO)





















LA LA LA LA ....
ITSUKA AERU,KITTO AERU
SAYONARAWA AINO KOTOBASA

SAYONARA O MOO ITIDO, ANATANI
SATTE YUKU, SONO KATANI
KYODE OWARU, WAKEDEWA NAITO
KOEO DASHITE, OSHIETA INO

KONOMAMA IRUTO , KOWARE SOUNA
FUTARI DAKARA, HANARERUNO AS
ITSUKA AERU , KITTO AERU
SAYONARA , AINO KOTOBASAA...


SAYONARA O MOO ITIDO, ANATANI
AIO KOME, IITA I NO
MUNENI NOKORU, NAMIDA O SUTETE
ASSUNO TAMENI , WAKARE YOUNE

KONO MAMA IRUTO , KOWARE SOUNA
FUTARI DAKARA , HANARERU NO SA
ITSUKA AERU, KITTO AERU
SAYONARAWA, AINO KOTOBASAA...

Dança das borboletas
























A dança das borboletas é um ritual sagrado que tem sua origem na religião naturalista do Japão antigo. Cheia de graça e delicadeza, ela imita os movimentos das borboletas saindo dos seus casulos, e geralmente é executada por rapazes em trajes de dançarinos.



Fonte

terça-feira, 10 de novembro de 2009

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Hi No Maru - A bandeira nacional do Japão











A bandeira do Japão é chamada Hi No Maru , que significa " Bandeira do Sol"
Sua origem tradicional vem de Amaterasu Omikami , que na mitologia japonesa é a deusa do sol, Hi no Mikami.

Tori no Ichi






















Dia 24/11 - Tori no Ichi (Japão)

Este era o festival dos Bons Espíritos. No Japão, é costume enfeitar a casa com ramos de bambu, para atrair bons espíritos e a boa sorte. Faça o mesmo, enfeitando as portas e janelas de sua casa com pequenos ramos de bambu.

Arsenal ninja













O Ninja era um especialista em todas as técnicas de armas. Mesmo se lhe acontece, em função das missões que habitualmente lhe eram atribuídas, de privilegiar uma ou outra arma, ele era antes de mais nada perfeitamente polivalente. Além das armas encontradas no impressionante arsenal Ninja, ele era capaz de empregar aquelas de qualquer outro adversário encontradas nos campos de batalha ou palco de operações. Entretanto apresentarei abaixo as armas tipicamente Ninja, mais estilizadas pelos Ninjas.


kunai


Uma arma muito comum entre os ninjas, semelhante a uma faca, ultilizada tanto para ataque, como para defesa. Pode ser usada também como ferramenta, como por exemplo escalar montanhas.

Shuriken


Também é uma arma muito comum entre os ninjas,semelhante a uma estrela.

Senbon [Agulhas]

Agulhas afiadas grandes que podem ser jogadas em um oponente, porém, com pouca chances de matar, a não ser que atinja um orgão vital.

Fuuma Shuriken

Uma shuriken em tamanho maior e muito mais forte. Quando não está em uso, ela fica fechada em apenas uma peça, em uso, poderá ser aberta, apresentando, assim 4 peças.

Kibaku Fuda

Um pedaço de papel com escritas em kanji que se traduz por "explosão". Quando aplicado no alvo, o papel começa a queimar e, quando queimado por completo, causa uma explosão.

Nunchaku
- Dois bastões curtos presos por uma corrente.

Kama
: Foice com cabo de madeira ou metal, é freqüentemente utilizada aos pares (Nicho-gama

Kaginawa
: A corda com gancho, geralmente utilizada pelos ninjas para escalar os murros dos castelos.

Tekagi ou Shuko : A luva de ferro cravejada, transforma a mão em garras temíveis.

Katana: A espada do Samurai.

Ninjas


















Ninja (忍者) ou Shinobi era uma organização secreta marcial que habitava as províncias de Iga e Koga, no Japão. Eram conhecidos por suas habilidades de infiltração, no Japão feudal do século XIV. Forneciam serviços em troca de pagamento, e seus trabalhos envolviam espionagem, assassinato, sabotagem, dentre outros. Eram isolados e viviam uma espécie de contracultura da época, pois os locais onde habitavam eram de difícil acesso, tornando-se reduto de chineses e coreanos refugiados de guerras, bem como de antigos clãs samurais perdedores de guerras feudais. Isto proporcionou a estas famílias ninjas gerarem uma cultura extremamente sincrética. Ninjas eram mais especializados em infiltração (armadilhas, armas ocultas, inteligência) do que combate em campo aberto, ao contrário da crença popular.

Bushido























Conheça os dez ensinamentos que norteavam a vida dos samurais:


O bushido tinha como principais itens:

1. A busca de uma morte digna. O samurai deveria estar pronto para morrer a qualquer momento;
2. A preservação da honra pessoal, de seus ancestrais e de seu senhor;
3. Ao falhar ou manchar sua honra, dos ancestrais ou de seu senhor, o samurai teria de cometer o suicídio ritual, o seppuku;
4. O guerreiro deveria sempre carregar consigo o seu par de espadas. A espada era a sua alma;
5. Ser corajoso. Melhor morrer do que ser chamado de covarde;
6. Ser justo e benevolente com os mais fracos, mas exigir respeito;
7. Manter sua palavra a qualquer custo;
8. Dedicar-se às artes como forma de aperfeiçoamento;
9. Ter gratidão à família e às pessoas que o ajudaram;
10. Lealdade ao seu senhor e dedicação ao trabalho.

hakama






















O hakama, calças largas que se estendem para os lados, era utilizado apenas por eles. É que, além de servir para esconder os pés do lutador e impedir que o inimigo conhecesse seus movimentos, cada prega do hakama simboliza uma das sete virtudes que um samurai deve ter: a honestidade, a lealdade, a coragem, a perseverança, a benevolência, a compaixão e a sinceridade. Por isso só um samurai de verdade poderia utilizá-lo.

Samurais!













Samurais ou bushi foram guerreiros do antigo Japão feudal. A palavra samurai significa “servir e seguir o senhor”. Os samurais eram grandes lutadores de mãos vazias (o jiu jitsu contemporâneo foi desenvolvido por samurais), bons cavaleiros e usavam diversas armas como arco e flecha e lanças, mas a mais famosa e símbolo do samurai é a espada.

Honra. Justiça. Perfeição. Lealdade.
Estas são algumas das palavras associadas aos Samurais, a classe guerreira do Japão feudal e até hoje, sua influência é sentida no modo de viver e de pensar do povo japonês.

Os samurais surgiram, como classe guerreira, na época feudal do Japão e dominaram o país por quase 8 séculos (séc. VIII ao XIX). Ser um samurai era um prestígio social, uma vez que a classe guerreira ocupava os mais altos cargos dentro da ditadura militar nipônica, chamada de xogunato ou Bakufu.

Inicialmente, a função do samurai era apenas coletar impostos e servir ao Império. A partir do século X, a figura do samurai toma forma e ganha uma série de funções militares. Até então, qualquer um podia tornar-se um samurai. Com o Xogunato Tokugawa, o termo "samurai" passou a denominar uma casta, passada de pai para filho.

Harakiri



























O Harakiri é um dos mais intrigantes e fascinantes aspectos do código de honra do samurai: consiste na obrigação ou dever do samurai em suicidar-se em determinadas situações, ou quando julga ter perdido a sua honra. Significa literalmente "corte estomacal". Esse suicídio ritual é também denominado seppuku, que é uma forma mais elegante de dizer exatamente a mesma coisa.


Várias circunstâncias podiam levar o samurai a praticar o harakiri:
- Como castigo e forma de recuperar a sua honra pessoal, uma vez que esta foi perdida em alguma atitude indigna do nome da sua família e/ou dos seus ancestrais;
- A fim de evitar ser prisioneiro em campos de batalha, pois entre os samurais era considerada uma desonra render-se ao adversário; assim, preferiam renunciar à vida do que entregar-se aos inimigos. Além disso, a rendição também não era uma boa escolha, pois os presos eram quase sempre torturados e maltratados;
- Num ato de pura lealdade, o samurai chega a matar-se para chamar a atenção ao seu senhor acerca de algo de errado que este esteja a fazer, advertendo-o. Alguns samurais também se suicidavam ao ver o declínio dos seus senhores, ou mesmo quando estes morriam, como forma de acompanhá-los eternamente e seguir o preceito de que um samurai não serve mais que um daymio na sua vida.

domingo, 8 de novembro de 2009





















Dar tapinhas nas costas durante um cumprimento é falta de educação. Um aperto de mãos já é suficiente. O recomendado, entretanto, é inclinar o tronco levemente para baixo e não manter contato físico com um japonês.
Uma curiosidade: presentear uma pessoa com relógios simboliza a morte. Outra: colocar o cartão de visita que acabou de receber no bolso é grosseria. Leia e segure-o na mão .

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Filmes

A Coletora de Impostos sobre máfias japonesas – Japão
#
Um Samurai ao Entardecer sobre a decadência da Era dos Samurais, prenúncio da Era Meiji – Japão.
#
A Volta da Coletora de Impostos sobre máfias japonesas – Japão
#
Han sobre o feudalismo japonês - Japão
#
Cemitério dos Vagalumes sobre a população civil japonesa durante a Segunda Guerra Mundial - Japão
#
Tampopo sobre a cultura trabalhista japonesa - Japão
#
As Baladas de Narayama sobre a cultura japonesa, o código de obrigações – Japão

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Natal ,no Japão













A festividade do natal foi introduzida no Japão pelos missionários cristãos e , durante muito tempo, a data era comemorada apenas pelos cristãos.
Mas, ultimamente, a grande maioria da população japonesa, que não é cristã, também passou a, comemorá-lo.
Isto se deve ao fato de que há, na cultura Japonesa, uma longa tradição de troca de presentes.
E uma data que oficializa essa troca tornou-se um forte apelo para os japoneses.
Um outro hábito relativo ao Natal também terminou por encontrar abrigo entre os japoneses como as bonecas sempre foram muito valorizadas em suas tradições, o presépio acabou também por encantar os japoneses--especialmente as meninas, que gostam de montar os seus próprios presépios.
Há, no Japão, a figura mitológica de um monge que se assemelha muito à do Papai Noel.
Ele é o hoteiosho, um bom velhinho que como Papai Noel, também leva um saco nas costas.
Mas, diferentemente deste, ele tem um segundo par de olhos na parte detrás da cabeça, e as crianças são advertidas a se comportarem bem pois, caso contrário, o hoteiosho estará vendo--tudo--tudo o que fazem.

O ápice do Natal no Japão resume-se a um bolo chamado kurisumasu keeki.



http://1.bp.blogspot.com/_MK7BOWIrOQk/R2_o1vr5ZZI/AAAAAAAABFM/NQCTVwYYi8E/s400/keiki2.jpg




Mas a data mais importante para os japoneses, em tudo a seu calendário de comemorações, é a do Ano Novo.
Para marcar a sua chegada, as casas são totalmente limpas e decoradas no dia anterior.
Depois dessa grande limpeza, as famílias colocam suas melhores roupas, e o pai, seguido de toda a família, caminha por toda a casa, exortado os maus espíritos a se retirarem, e chamando a boa sorte.


Merii Kurisumasu - Feliz Natal!

Cananga-do-Japão



A Cananga-do-Japão (Kaempferia rotunda) também pode ser chamada de Flor-da-Terra, Flor-da-Ressurreição, Lírio-Misterioso, Cananga ou Ilang-ilang-da-Terra. Em espanhol é chamada de Ilang-ilang-de-la-tierra. Em inglês é chamada de Peacock-ginger, Flower-of-the-earth.

É originária da Ásia (Japão), sendo parente do gengibre. É uma planta herbácea que pode chegar a 60 cm de altura. As folhas são matizadas em diferentes tonalidades de verde na parte superior, sendo avermelhadas na parte inferior, formando grupos de folhas unidas na base. A floração é na Primavera e ocorre antes do surgimento das folhas. As flores são levemente perfumadas e lembram orquídeas. A vida da flor é de cerca de um a três dias, mas abrem continuadamente fazendo com que a floração dure mais de um mês.

Hortênsia























No Japão existe um chá chamado ama-cha, feito com chá verde e folhas de hortênsia. Este chá tem uso cerimonial, na cerimônia do aniversário de Buda, quando sua estátua é banhada com o chá. Também é consumido durante o Hanami ( festa das flores), quando os japoneses reunem-se para apreciar as flores, entre fim de março e princípio de abril.